A gestão na Educação Infantil

Tipo de documento:Revisão Textual

Área de estudo:Gestão ambiental

Documento 1

Como ocorreu no Brasil. As primeiras instituições de Educação Infantil tinham caráter assistencialista, atendendo as crianças com nível social e econômico mais baixo. Nas últimas décadas houve alterações na legislação brasileira em prol da educação infantil. A criança, de acordo com a Constituição de 1988, é considerada um sujeito de direitos e reconhece a educação de crianças de 0 a 6 anos sendo um direito do cidadão e dever do Estado, com caráter educativo e não mais assistencialista. O cuidar e o educar são indissociáveis para com as crianças em instituições infantis e tem que estar presente em todas as ações daqueles que lidam com as crianças. A Educação Infantil é um espaço aberto para o mundo sendo de fundamental importância a forma como a mesma é desenvolvida demonstrando total comprometimento com a educação. Os gestores necessitam de clareza sobre esses aspectos e repercutem nas suas práticas. Flôres, Tomazzetti, 2012). A gestão educacional também tem evoluído ao longo do tempo. No Brasil começou a ter importância à partir da década de 90, com mudanças conceituais e atitudinais. Porém, na prática ainda tem muito a caminhar, pois o conceito de gestão é confundido com administração e o seu lado burocrático. Uma gestão eficiente e que atende os direitos, o cuidar e o educar da criança, é a gestão democrática, em uma sociedade em que as informações e conhecimentos tem fundamental importância.

Hoje, a educação tem papel essencial em formar indivíduos para a compreensão de si, do outro, por meio do conhecimento de mundo, de caráter crítico que possibilita a compreensão verdadeira dos acontecimentos. Dessa forma, há uma urgência de mudanças significativas tanto da prática pedagógica quanto na que a orienta. A educação na era do conhecimento é uma educação que formam sujeitos ativos, ou seja, aqueles que participam efetivamente na construção da sociedade em que vivem. Não sendo diferente no ambiente da escola, a gestão democrática mobiliza as pessoas para atuar efetivamente na escola, a participar da transformação da realidade. Não o que manda e o que é mandado, neste sistema, todos são convidados a participar de forma construtiva e reflexiva como sujeitos críticos que constroem e desconstroem saberes, formando os indivíduos para a vida, diferentemente do sistema burocrático que tem como característica o mero acúmulo de informações e aptidões ditadas pelo mercado.

A construção do cotidiano tem que ser mediante ação coletiva com a comunidade escolar participando da produção do conhecimento pedagógico. Diferente do que é bastante utilizado pelas instituições de educação infantil atualmente. As mesmas ainda utilizam o excesso de burocratização, centralização de poder, chamada de gestão autoritária. Referências: FLORES,V. M. da S. TOMAZZETTI,C. M. Florianópolis, UFSC, out. Anais. Disponível em: <http://37reuniao. anped. org.

667 R$ para obter acesso e baixar trabalho pronto

Apenas no StudyBank

Modelo original

Para download