Novas Tecnologias para o ensino de língua estrangeira

Tipo de documento:Produção de Conteúdo

Área de estudo:Lingua Portuguesa

Documento 1

Sociedade, Tecnologia e Educação. Atualmente, as tecnologias digitais estão presentes em todas as esferas da sociedade e tem produzido modificações na forma como os indivíduos se relacionam entre si e com as instituições. De acordo com o dicionário de Língua Portuguesa Aurélio, o termo Tecnologia corresponde a “conjunto dos termos técnicos de uma arte ou de uma ciência”. Um dos maiores fenômenos tecnológicos de todos os tempos surgiu no ano de 1969 quando o primeiro e-mail da história da internet foi enviado. Desde então, com o advento da rede mundial de computadores (World Wide Web), a tecnologia passou definitivamente a fazer parte da vida social de toda a humanidade. Rede social, e mail e site são alguns termos que todos nós conhecemos e que nos remetem automaticamente a computadores e suas tecnologias. Essa tecnologia está em constante mutação e tende a se tornar mais elaborada a cada dia. Nos dias de hoje esta tecnologia é entendida como tecnologias de informação e comunicação (TIC). O relatório Delors (Unesco,1996) considera as TIC “como elemento essencial para compreender as sociedades contemporâneas” A história da tecnologia no nosso país tem início em 1916 1 com a Criação da Sociedade de Ciência Brasileira, depois denominada de Academia Brasileira de Ciências 2. Nos dias atuais ela está presente não só em mais da metade de toda a população, mas entre milhares de pessoas.

A Academia Brasileira de Ciências (ABC) é uma academia de ciências que divulga e fomenta a produção científica no Brasil desde 3 de maio de 1916, tendo sido fundada por 27 cientistas e ainda sediada na cidade do Rio de Janeiro, com o nome Sociedade Brasileira de Ciências, alterado em 1921 para sua atual denominação. de “plástico”. Dessa forma o homem se tornou refém de sua própria ciência estando fadado a depender cada vez mais dela. A tecnologia entrou não só nos nossos lares mas em toda vida pública, principalmente. Repartições, empresas e escolas estão de adequando ou tentando se adequar a essas novas técnicas visto que as modificações tecnológicas são tão rápidas e frequentes. A escola precisa dar uma resposta a este mercado tecnológico.

Estudar, portanto, é fundamental e a escola precisa e deve se adaptar e essa nova forma de obter conhecimento. A introdução das TIC na instituição escolar exige uma mudança total na forma de aprender e adquirir o conhecimento. O professor como profissional envolvido diretamente nesta discussão deve adequar a sua abordagem metodológica e a sua pedagogia a fim de que os alunos possam aprender o conteúdo de forma contextualizada, o que inclui um posicionamento do professor diante de métodos que favoreçam o aprendizado do indivíduo. Nos dias atuais muito se discute o uso de TICs para a comunidade escolar. Charles Darwing em The Descent of Man, and Selection in Relation to sex3 (1871) chamou o processo de aprendizagem de "tendência instintiva para adquirir uma arte".

Contudo adquirir uma segunda língua já na fase adulta é um processo ainda mais complexo. Lightbown destaca a aquisição de uma segunda língua na fase adulta como a construção de um sistema de conhecimento que pode eventualmente se evocado para falar e aprender (nossa tradução). Esse processo de construção está relacionados a muitos fatores externos. Mark Patkowski (1980) afirma que a idade é um fator decisivo na aprendizagem de uma segunda língua. Esta teoria behaviorista deu origem ao Método Áudio-Lingual muito utilizado pelos soldados americanos envolvidos na segunda guerra mundial onde tinham que aprender uma segunda língua para poderem se comunicar. Podemos citar ainda o método direto (Direct Method) desenvolvido por Sauveur (1826-1907) muito relacionado com a teoria associacionista4. Não deixemos de mencionar o Método da Gramática e Tradução como um dos primeiros métodos da abordagem tradicional.

Com uma abordagem voltada para os manuais e dicionários este método valorizava exercícios e explicações gramaticais. Ainda hoje esse é o método que mais se aproxima da forma como as aulas são lecionadas nas nossas escolas. Este projeto foi lançado oficialmente no Brasil em 2006 após uma proposta de distribuição de laptops para crianças brasileiras apresentada por Nicolas Negroponte (pesquisador americano) ao então Presidente do Brasil Luís Inácio Lula da Silva, durante o Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, em 2005. A distribuição dos equipamentos no RN ocorreu somente no ano de 2010 contemplando 10 escolas públicas. A UFRN teve a responsabilidade pela formação e acompanhamento dos multiplicadores (responsáveis pela formação dos professores das 10 escolas contempladas) através dos Núcleos de Tecnologia Estadual (NTE) e Municipal (NTM) com o apoio da Secretaria de Educação a Distância.

melhores condições de trabalhos a sérios investimentos em mão de obra qualificada. Os professores necessitam hoje de um treinamento especifico para dominarem todas estas novas tecnologias. Denise Bértoli Braga (2013) afirma: “Apesar de todo esse panorama parecer assustador e novo para alguns professores, ele é, na realidade, uma ampliação e continuação de um processo de mudanças nas práticas de letramento que já é bastante familiar” (Bértoli Braga, p 41) As práticas educacionais de letramento seguem uma evolução lógica. Basta refletirmos como nossos avós aprenderam a ler e escrever e de como nossos filhos hoje aprendem. A evolução é gritante e claramente perceptível. A Instituição e os Alunos No dia 25 de abril de 1896 nascia no bairro de Igapó, Ulisses Celestino de Góis que se tornaria influente professor na sociedade natalense na década de 90.

Após concluir seus estudos no Atheneu Norte-rio-grandense fundou a Escola Técnica do Comércio em 1918 – 6 que se tornaria Escola Estadual Ulisses de Góis mais tarde – com a ajuda de Dom Antonio dos Santos Cabral e uma equipe de professores. O uso das TICs surge então como ferramenta para auxiliar o professor nesta árdua tarefa de proporcionar o acesso ao conhecimento para esse público. Apesar de carentes e de que muitos não possuem acesso a todas as novas tecnologias, abstê-los desta realidade os priva de estarem preparados para as exigências sociais da atualidade. Indubitavelmente, eles serão expostos a uma tecnologia cada vez mais desenvolvida e terão que adaptar-se a este mercado. Ferramenta Pedagógica A educação é um fenômeno e um processo social, político, econômico e cultural de uma sociedade.

Na escola, que é uma instituição cuja finalidade específica é a instrução e o ensino, novas formas de educação surgem constantemente com o intuito de proporcionar uma maior eficiência no processo de ensino-aprendizagem. Produção do trabalho proposto Inicialmente os alunos tiveram uma explicação teórica sobre estrangeirismo e de como este fenômeno faz com que diversas expressões da língua Inglesa tornem-se também presentes no nosso vocabulário cotidiano. Posteriormente foram levados à instituição de ensino GRACOM6 para familiarizarem-se com o suporte textual revista eletrônica. Lá, eles tiveram a oportunidade de aprender os principais recursos e formas de acesso a sites onde estas revistas estão disponíveis. Foi ministrada uma palestra por um profissional da área passando estas principais informações.

Este primeiro contato foi fundamental para situar o aluno no objetivo final do seu trabalho. Esta experiência proporcionou uma aproximação entre novas tecnologias e aluno propondo um uso que vai além de mensagens via WhatsApp e meros jogos de passatempo. Combinadas com a educação, estas tecnologias tornam-se potencialmente impactantes para a aprendizagem de todo e qualquer conhecimento no âmbito da comunidade escolar. Como educadores, perceber o desenvolvimento dos alunos nesse contexto tecnológico torna-se muito prazeroso. A atividade pedagógica passa por novos caminhos e traz para os profissionais desta área uma experiência única, uma vez que as TICs estão em constante desenvolvimento. Nós, professores, percebemos a importância deste trabalho, não só pelo resultado final em si, mas pelo aprendizado diferenciado experimentado por professores e alunos.

P. How languages are learned. Cambridge: Cambridge University Press, 1999 Andrade, Arnon A. M. de. org. br/Encontros/08/utilizacao_ferramentas_tic. pdf Braga, Denise Bértoli. Ambientes Digitais: Reflexões teóricas e práticas. ª ed. pdf.

1297 R$ para obter acesso e baixar trabalho pronto

Apenas no StudyBank

Modelo original

Para download