Portfólio A Empresa Praticidade - 2021.1 - Unopar e Anhanguera - Administração

Tipo de documento:Revisão Textual

Área de estudo:Administração

Documento 1

ETAPA 3 8 2. ETAPA 4 10 2. ETAPA 5 14 3 CONSIDERAÇÕES FINAIS 17 REFERÊNCIAS 18 1 INTRODUÇÃO A discussão sobre a relação do homem com o meio ambiente vem se tornando cada vez mais forte no cenário mundial. No centro dos debates, estão as indústrias. Estas são apontadas como as principais agentes na relação de desequilíbrio com a natureza, tanto pela extração dos recursos naturais, quanto pelo lançamento dos rejeitos produtivos. Neste contexto, cria-se uma forte pressão pelos mais variados segmentos da sociedade no que diz respeito a essa interação. Em virtude disso, um número crescente de empresas preocupadas com o relacionamento entre o desempenho dos seus negócios e o meio ambiente vem procurando incluir a dimensão ambiental em suas agendas estratégicas. A ordem, em certas empresas, é que nenhum produto seja idealizado, produzido ou comercializado sem levar em conta os possíveis danos ao meio ambiente. As ações tomadas para melhorar a relação organização versus meio ambiente, por muito tempo foram encaradas como custos que geravam um entrave para a competitividade empresarial. Porém, com a evolução que ocorreu nos estudos sobre a qualidade, essa visão sofreu modificações. Passou-se a promover mecanismos que deixassem o processo de produção mais eficiente e que os resíduos ou rejeitos produtivos fossem reciclados ou até mesmo servissem de matéria-prima para outros setores produtivos. A produção textual tem como objetivo analisar o caso da empresa “Praticidade”, que é fabricante de produtos descartáveis e busca uma gestão sustentável para o seu desenvolvimento e crescimento, onde será realizado o desenvolvimento de 5 etapas para melhor auxiliar na gestão da empresa, destacando pontos como Política Nacional de Resíduos Sólidos, O método do Ciclo PDCA para gerenciamento dos resíduos, Recrutamento e seleção para o cargo de tecnólogo em gestão ambiental, gestão do conhecimento, ciclo de vida das organizações, abertura de capital e suas vantagens e desvantagens e responsabilidade socioambiental, envolvendo assim todas as disciplinas estudadas no decorrer do semestre letivo.

DESENVOLVIMENTO 2. ETAPA 1 A Lei nº 12. que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) é bastante atual e contém instrumentos importantes para permitir o avanço necessário ao País no enfrentamento dos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos. Prevê a prevenção e a redução na geração de resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo sustentável e um conjunto de instrumentos para propiciar o aumento da reciclagem e da reutilização dos resíduos sólidos (aquilo que tem valor econômico e pode ser reciclado ou reaproveitado) e a destinação ambientalmente adequada dos rejeitos (aquilo que não pode ser reciclado ou reutilizado). Institui a responsabilidade compartilhada dos geradores de resíduos: dos fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes, o cidadão e titulares de serviços de manejo dos resíduos sólidos urbanos na Logística Reversa dos resíduos e embalagens pós-consumo e pós-consumo.

Cria metas importantes que irão contribuir para a eliminação dos lixões e institui instrumentos de planejamento nos níveis nacional, estadual, microrregional, intermunicipal e metropolitano e municipal; além de impor que os particulares elaborem seus Planos de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. Também coloca o Brasil em patamar de igualdade aos principais países desenvolvidos no que concerne ao marco legal e inova com a inclusão de catadoras e catadores de materiais recicláveis e reutilizáveis, tanto na Logística Reversa quando na Coleta Seletiva. Além disso, os instrumentos da PNRS ajudarão o Brasil a atingir uma das metas do Plano Nacional sobre Mudança do Clima, que é de alcançar o índice de reciclagem de resíduos de 20% em 2015. CHECAR Verificação e ação corretiva AGIR Análise crítica pela gestão e busca de melhorias continuas 2.

Etapa 2 Recrutamento e seleção é o nome dado ao subsistema de RH que tem a função de atrair e escolher as pessoas mais indicadas para trabalhar em uma determinada vaga de uma organização. É muito comum que esses termos sejam empregados juntos, como se fossem sinônimos ou atividade única. Porém, trata-se de duas funções distintas, que se complementam e que dependem uma da outra para garantir maior eficiência. O recrutamento é o conjunto de informações, de procedimentos e de técnicas utilizados para atrair candidatos potencialmente qualificados para ocupar as vagas existentes em uma organização. FUNÇÕES / ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES • Diagnóstico de situação • Avaliação de impacto ambiental • Proposição de medidas mitigadoras, corretivas e preventivas • Recuperação de áreas degradadas • Acompanhamento e monitoramento da qualidade ambiental • Regulação do uso, controle, proteção e conservação do meio ambiente • Avaliação de conformidade legal • Análise de impacto ambiental • Elaboração de laudos e pareceres • Elaboração de programas de educação ambiental • Desenvolvimento de pesquisas e trabalhos na área • Assessoramento e consultoria em gestão ambiental • Certificações de qualidade em gestão ambiental MATRIZ DE COMPETÊNCIAS Experiência mínima Formação: Treinamentos necessários Habilidades necessárias 2 ANOS Mínima: superior em tecnologia em gestão ambiental.

Desejável: Especialização em gestão ambiental. Voltado a Política Nacional de Resíduos Sólidos; Relacionamento interpessoal; Noções de informática; Mínima: boa relação interpessoal, dinamismo, responsabilidade. Desejável: agilidade; compromisso; conhecimentos específicos. Dentro das descrições acima, serão selecionadas 10 pessoas para participarem de uma dinâmica de grupo e provas de caráter eliminatório, onde será selecionado de acordo com as descrições acima para melhor execução do cargo pretendido. Contudo, a otimização de processos e a capacidade técnica de realizar uma operação mais eficiente é um objetivo perseguido por todas as empresas. Além disso, aquelas consideradas referência em eficiência são imitadas e, dessa maneira, podem ser superadas. Por isso, a não ser que haja alguma espécie de proteção de mercado que inviabilize a ação e entrada de concorrentes, nenhuma empresa consegue se manter em vantagem por muito tempo apenas em razão da eficiência operacional.

Um efeito dessa realidade é que, quando as empresas trabalham exclusivamente com a busca desse tipo de vantagem, elas sofrem uma pressão muito maior pela redução de custos e comprometem sua lucratividade. O ciclo de vida é entendido por Adizes (1990) como um fenômeno ao qual todo ser vivo está submetido, pois cada um nasce, cresce, envelhece e morre. Esse conceito se refere a uma abordagem multidisciplinar para alcançar os objetivos organizacionais por meio das melhores práticas do uso do conhecimento. A empresa Praticidade em estudo utilizou-se da gestão de conhecimento para se atualizar no mercado, pois viu que os clientes estão se importando mais com o meio ambiente e deixando de utilizar plásticos descartáveis, pois demora a decomposição, analisando o mercado a empresa se viu na necessidade de se atualizar para atender essa nova demanda do mercado, se enquadrando em normas ambientais e fornecendo produtos inovadores a seus clientes.

Três aspectos relacionados ao tema da Gestão do Conhecimento, que envolve o caso da empresa Praticidade são: • Melhoraria no acesso ao conhecimento: esse propósito depende da facilitação do seu acesso e da transferência entre as pessoas • Aprimoramento do ambiente organizacional: criando políticas de incentivo ao compartilhamento do conhecimento entre as pessoas • Valorização do conhecimento disponível: algumas organizações estão incluindo o capital intelectual em seus balanços, enquanto outras aproveitam o ativo para gerar novas formas de receitas, reduzir custos e inovar. Etapa 4 A abertura de capital é simplesmente um movimento para ganhar dinheiro. A ideia é levantar fundos e ter mais liquidez ou dinheiro na mão vendendo ações publicamente. Seus recursos são destinados principalmente para capital fixo das empresas e são remunerados em juros, participações nos lucros, etc.

As debêntures são títulos de longo prazo. Commercial Papers - Notas promissórias de curto prazo, utilizados pelas empresas para financiar seu capital de giro. Também podem ser negociados os direitos e recibos de subscrição de valores mobiliários, certificados de depósitos de ações e outros derivativos autorizados à negociação (contratos futuros, opções, etc). E embora não seja algo ainda tão difundido no Brasil, o Mercado de Capitais está acessível a qualquer pessoa que queira começar a investir. Em tempo: A CVM é uma autarquia pública, que faz parte do Sistema Financeiro Nacional e filiada ao Ministério da Fazenda. Sua principal função é disciplinar, fiscalizar e normatizar as ações do mercado de valores mobiliários; A BM&FBovespa é a nossa bolsa de valores.

Nela, são negociadas de forma organizada as ações das companhias de capital aberto, de acordo com as regras preestabelecidas pela CVM. Requisitos: Um dos requisitos para que uma empresa faça seu registro junto à CVM é que ela opere como uma sociedade anônima. Outro ponto importante é a governança corporativa e a transparência na prestação de contas, sem as quais é impossível atuar em um mercado competitivo e voraz como o de capitais. São os chamados stakeholders. E é fundamental que haja essa cultura de transparência para garantir boas relações entre todas as partes, bem como o engajamento nos objetivos da empresa. Equidade: O conceito de equidade diz respeito à relação igualitária que deve ser estabelecida e incentivada entre todos, desde os gestores e demais funcionários da empresa até os stakeholders.

Trata-se de uma estratégia para garantir a fluidez dos processos, de forma que todos contribuam com o que acharem necessário. Afinal, canais de comunicação abertos são importantes para que esse princípio básico seja estabelecido com eficiência. No caso da governança corporativa, isso deve ocorrer por meio de um conselho consultivo formado por profissionais capacitados e experientes de diferentes áreas. Essa ação proporciona um embasamento muito maior para quem precisa agir com inteligência o tempo todo. ETAPA 5 O mundo corporativo tem um papel fundamental na garantia de preservação do meio ambiente e na definição da qualidade de vida das comunidades de seus funcionários. Empresas socialmente responsável geram, sim, valor para quem está próximo. E, acima de tudo, conquistam resultados melhores para si próprias.

Os benefícios econômicos e estratégicos da implantação de um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) pelas empresas podem refletir-se tanto em ganhos de mercado como em redução de custos, além de facilitar o acesso às fontes de recursos e à entrada nos mercados internacionais, principalmente europeu e norte-americano. Adequar-se às exigências ambientais dos mercados, governos e sociedade, apesar de levar a empresa a despender um montante considerável, traz benefícios financeiros e vantagens competitivas. A responsabilidade social não é um modismo e sim uma realidade no contexto empresarial, que acarreta alterações gradativas de comportamento e de valores nas organizações, devendo estar presente nas decisões de seus administradores e balizar seu relacionamento com a sociedade. A implantação de um sistema de gestão ambiental poderá ser uma das soluções para uma empresa que pretende melhorar a sua posição em relação ao meio ambiente.

O comprometimento hoje exigido às empresas com a preservação ambiental, obriga mudanças profundas na sua filosofia, com implicações diretas nos valores empresariais, estratégias, objetivos, produtos e programas. Empresas que trabalham com este tipo de setor precisam encontrar novas formas de se adequar ao novo contexto, onde o crescimento econômico deve estar alinhado com a responsabilidade socioambiental. Este alinhamento possibilita vantagens competitivas para a organização, sejam elas de caráter econômico, de melhoria da imagem e a abertura do mercado externo. Por fim, chegou-se a uma conclusão de que, apesar de alguns esforços empregados, sejam eles de ordem financeira ou não, o retorno positivo da gestão ambiental, será percebido pelas empresas praticantes. REFERÊNCIAS Recrutamento e Seleção: o que é, técnicas, processos e mais! Disponível em: https://www.

gupy. com. br/blog/abertura-de-mercado-de-capital-entenda-o-processo-com-facilidade/ Acesso em: 12/02/2021. Entenda aqui o que é governança corporativa. Disponível em: http://blogespecializacao. fdc. br/artigos/gestao-de-risco-na-abertura-de-capital#:~:text=Podem%20ser%20considerados%20como%20desvantagens,ainda%20mais%20competitividade%2C%20a%20press%C3%A3o Acesso em: 12/02/2021. Gestão do Conhecimento: o que é, importância e como aplicar. Disponível em: https://fia. com. br/blog/gestao-do-conhecimento/ Acesso em: 12/02/2021. tororadar. com. br/blog/mercado-de-capitais-o-que-e-e-como-ele-funciona Acesso em: 12/02/2021. O que é uma abertura de capital de empresa? Como funciona? Disponível em: https://www. creditooudebito. br/cursos/tecnologo-em-gestao-ambiental/#:~:text=O%20tecn%C3%B3logo%20em%20Gest%C3%A3o%20Ambiental%20tem%20a%20miss%C3%A3o%20de%20planejar,medidas%20mitigadoras%2C%20corretivas%20e%20preventivas Acesso em: 12/02/2021. Vantagem competitiva: o que é, exemplo e como identificar na empresa? Disponível em: https://www. euax. com. br/2018/01/vantagem-competitiva-como-identificar/ Acesso em: 12/02/2021.

58 R$ para obter acesso e baixar trabalho pronto

Apenas no StudyBank

Modelo original

Para download

Documentos semelhantes

ÁREA DE CONCENTRAÇÃO

Palavras: 4125

Páginas: 15

5 chaves para o sucesso

Palavras: 9350

Páginas: 34

Coaching

Palavras: 34375

Páginas: 125

GESTÃO DE TRABALHO EM EQUIPE

Palavras: 3575

Páginas: 13