A origem do oxigênio e sua importância

Publicado em 23.12.2018 por Juliana N. Tempo de leitura: 4 minutos
cia simples de oxigênio sob condições normais é um gás sem cor, sabor e cheiro, cuja molécula consiste de dois átomos de oxigênio e, portanto, também é chamado de dioxigênio. O oxigênio líquido tem uma cor azul clara e o oxigênio sólido é azul-claro.

Existem outras formas alotrópicas de oxigênio, por exemplo, o ozônio. Em condições normais, é um gás de cor azul com um cheiro específico, cuja molécula consiste em três átomos de oxigênio.

Oficialmente, considera-se que o oxigênio foi descoberto pelo químico inglês Joseph Priestley em 1º de agosto de 1774, decompondo o óxido de mercúrio em um recipiente hermeticamente fechado.

No entanto, Priestley inicialmente não entendia que ele havia descoberto uma nova substância simples. Ele acreditava que ele destacou uma das partes constituintes do ar. Sobre sua descoberta, Priestley informou ao notável químico francês Antoine Lavoisier. Em 1775, Lavoisier estabeleceu que o oxigênio é parte integrante do ar, dos ácidos e está contido em muitas substâncias.

Alguns anos antes (em 1771), o oxigênio foi recebido pelo químico sueco Karl Scheele. Ele calcinou nitrato com ácido sulfúrico e depois decompôs o óxido nítrico resultante. Scheele chamou esse gás de ar ardente e descreveu sua descoberta em um livro publicado em 1777. Scheele também relatou sua experiência a Lavoisier.

Uma etapa importante que contribuiu para a descoberta do oxigênio foi o trabalho do químico francês Pierre Bayen, que publicou trabalhos sobre a oxidação do mercúrio e a subsequente decomposição do seu óxido.

Finalmente, Lavoisier, que usou informações de Priestley e Scheele, entendeu a natureza do gás recebido. Seu trabalho foi de tremenda importância, porque graças a ele, a teoria do flogístico que dominou na época e impediu o desenvolvimento da química foi derrubada. Lavoisier realizou um experimento sobre a combustão de várias substâncias e refutou a teoria do flogístico, publicando os resultados pelo peso dos elementos queimados. O peso das cinzas excedeu o peso inicial do elemento, o que deu a Lavoisier o direito de afirmar que a reação química (oxidação) da substância ocorre durante a combustão, neste contexto a massa da substância inicial aumenta, o que refuta a teoria de flogisto.

Assim, o mérito da descoberta do oxigênio é dado a Priestley, Scheele e Lavoisier.

Juliana N

Autora do Studybay

Meu nome é Juliana, sou Bacharel em Filosofia pela IFCH e pós-graduada em Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp. Tenho experiência grande com artigos, trabalhos acadêmicos, resumos e redações com garantia antiplágio.