Armadura e como acontece com Aquiles de Ilíada ter isso?

Publicado em 20.06.2023 por Juliana N. Tempo de leitura: 7 minutos

O significado é um tema recorrente na Ilíada; geralmente, é necessário notar que, após a sua morte de Pátroclo, as antigas armaduras de Aquiles se transformam em representar "Aquiles divinos" para o simbolismo da morte, ou talvez Pátroclo como símbolo da servo sacrificial. Embora o simbolismo entre a armadura antiga e nova de Aquiles seja frequentemente examinado, você pode notar uma semelhança recorrente com as mudanças que ocorrem no personagem de Aquiles, bem como os simbolismos existentes em suas armaduras. Um paralelismo parece ocorrer entre Aquiles como uma pessoa e o simbolismo por trás de seus fósforos de armadura. Aquiles pode ser tanto divino quanto humano, e quando ele transita para sua divindade, vê-se uma representação física através da troca de sua armadura.

"Dois abruti me levam à morte. Se eu ficar embaixo e lutar, nunca voltarei a morar, mas minha glória estará eterna para sempre. Se eu voltar para casa, para minha querida pátria, minha glória geralmente está perdida. minha vida provavelmente será longa, polegadas [1] Esta é a profecia que Aquiles fez com sua mãe, Thetis, que sua mãe Thetis: Aquiles tem a decisão de possivelmente ficar e lutar apenas para viver uma vida breve, mas sua maravilha viverá eternamente ou ele pode decidir sair e não ter fama, mas viver uma vida longa.Glória é essencial para o guerreiro da cultura da língua grega antiga, a ausência aparente de evidências concretas desse tipo de kleos, os homens não estavam conseguindo tipo de reconhecimento interpessoal ou talvez de pé. Os guerreiros da Grécia antiga receberam kleos através dos prêmios que ganharam na luta. Para ganhar prêmios, um guerreiro precisa agir, simplesmente participando de um assalto a qualquer cidade ou talvez conquistando um inimigo na guerra. saquear a cidade ou levar objetos de valor, como j ovelhas, platina, mulheres ou talvez a armadura da vítima. A acumulação de prêmios fornece ao guerreiro uma representação física com a glória que eles conquistaram através de suas ações. Portanto, quanto maiores os prêmios que um guerreiro possui, mais glória ou kleos ele possui.

A revelação de que a beleza de Aquiles poderia sobreviver transcende o tempo está além de sua compreensão, dada a mentalidade de guerreiro, que acreditaria que a maravilha era intermediária na posse de objetos materiais. A idéia de kleos vivendo para sempre é chamada "kleos afthition", que significa "glória eterna". No caso de Aquiles escolher viver uma vida curta, mas permitir que sua glória permaneça permanentemente, não haverá nenhuma prova física dessa fama. Essa falta de evidência é a razão pela qual é muito desafiador para Aquiles entender o valor da afeição de kleos e tomar sua decisão, porque não há evidência física de sua glória, sua glória será transmitida pelo boca a boca. >

Através da conjetura da decisão que ele deve gerar, Aquiles agora é o elo entre a vida e a morte. Ele finalmente decide morrer jovem, mas permitir que sua glória permaneça eternamente. A profecia de Aquiles está essencialmente prevendo que Aquiles morrerá corporalmente, embora sua lembrança viva a imortalidade. Este envelhecer é completamente diferente do envelhecer dos deuses. Como a mãe de Aquiles, Thetis, é uma imperatriz, ele é 50% divino e recebeu alguns itens piedosos, por exemplo, quando Aquiles explodiu em luta após a fatalidade de seu amigo íntimo Pátroclo, Homero descreve a tendência de Aquiles lembrando: " Mas o filho de Peleu avançou em glória, suas mãos invencíveis salpicadas de sangue. "[2] Homero descreve Aquiles em condições de Deus", ele insistiu em glória ", ou talvez" suas mãos invencíveis. Polegadas Somente os deuses são imortais, portanto, Homero enfatiza a divindade de Aquiles. Embora Aquiles tenha recebido algumas qualidades divinas, ele não herdou a característica de imortalidade de sua mãe. Sua glória e memória viverão para sempre, mas seu corpo físico não.

A nova armadura de Aquiles, também feita pelo deus Hefesto [3], é uma representação física da divindade de Aquiles. Quando a mãe de Aquiles dá ao filho sua nova armadura, seus homens tremem e são incapazes de olhar para ela, nada foi fabricado assim antes e seus homens não conseguem descobrir. Devido ao fato de que essa nova proteção é algo nunca antes visto, Aquiles agora é novamente algo que existe fora do quadro de referência de seus homens.

Embora Aquiles geralmente não seja o primeiro guerreiro cujos trajes de batalha foram criados pelo divino, ele obteve algo que nunca foi visto antes. Retratada em torno do escudo de sua armadura, há uma fantástica caracterização da criação, abrangendo muitos aspectos da vida. Quase toda a criação é retratada em defesa, demonstrando coesão da divindade e da humanidade.A salvaguarda de Aquiles é uma excelente indicação de que, através de seu estilo de vida, ele é o elo entre o trabalho e os reinos humanos. Portanto, a nova armadura de Aquiles pode ser descrita como manifestação física de sua divindade e humanidade.

Em contraste com o novo escudo de Aquiles, no momento em que ele deixa de vestir sua armadura ultrapassada, isso começa a simbolizar a morte. Assim que Agamenon sequestra Briseis, o prêmio de Aquiles, Aquiles é forçado a lidar com os problemas da sociedade contemporânea grega, como toda a falta de matéria pelos meios pelos quais os kleos são definitivamente obtidos. Por causa das revelações de desordem no mundo grego, Aquiles começa a mudar quem ele é e, portanto, sua armadura ultrapassada representa um Aquiles que não existe mais. Agamenon prejudicou Aquiles e, devido a esse desafio, Aquiles sai da batalha e nunca veste sua antiga armadura. O velho Aquiles está morto, portanto, a armadura não representa mais o guerreiro mais alto dos Acaus, mas simboliza um cara que desapareceu. Para mostrar ainda mais essa afirmação, parece que quem usa a armadura morre.

Quando Pátroclo é inicialmente ferido, o arnês de Aquiles cai em direção à lama. Homer para no impacto recordador, expressando: "Capacete de Aquiles gradeado sob os cascos dos cavalos, e rolou para trás, nem sempre, isso nem sempre estava certo. Aqueles atraentes penne de crina de cavalo sujavam sangue, os deuses não deixavam isso acontecer com o capacete que havia protegido a cabeça e a testa graciosa de Aquiles. polegadas Homer entende que Aquiles deve permanecer um pouco de trabalho e, portanto, está chocado que os deuses permitissem que o capacete da motocicleta de "Aquiles divino" caísse na lama. Este incidente pode ter como objetivo idéia de que o capacete não representa mais Aquiles, mas agora a morte. Homer continua afirmando: "Mas os deuses deixaram acontecer, e Zeus agora fornecerá o capacete a Hector, em cuja perda de vidas não era remota. "[4] Esta afirmação confirma a idéia de que o antigo escudo de Aquiles representa fatalidade, principalmente porque Hector, o príncipe de Tróia, rouba a velha guarda de Aquiles e veste que depois que sua própria fatalidade foi profetizada. Hector evita essa salvaguarda quando incorre em Aquiles. homens profetizaram suas mortes, no entanto, foi realizada a previsão de que Aquiles se livraria de Hector, essa pode ser outra exposição que os fatos de batalha agora representam a morte. Homer faz alusão à fatalidade de Hector durante o desafio entre o príncipe de Tróia e o filho de Peleu. .

Aquiles se esforça para lutar contra Hector usando sua nova armadura divina, enquanto Hector desfila vestido com a armadura que, quando representava Aquiles. Ambos os homens foram profetizados para perecer, mas Hector foi profetizado para ser assassinado por Aquiles. Embora a profecia tenha sido feita, Hector responde arrogantemente ao Pátroclo moribundo, insinuando: "Por que profetizar minha morte, Pátroclo? Quem sabe? Aquiles, filho de Thetis, pode muito bem cair inicialmente sob minha lança pessoal". [5] Parece que ele Acredite que ele pode mudar seu destino e derrotar o melhor guerreiro dos Acaus, especificamente porque ele arrebata a armadura de Aquiles do falecido Pátroclo. O que Hector se esquece de considerar é a tendência de arrepiar a alma que Aquiles parece em relação à pessoa que matou seu amigo mais próximo.

Aquiles massacra Hector em batalha, depois desgraça selvagemente o corpo do príncipe inútil. Hector usava a antiga armadura de Aquiles em desafio contra ele, portanto, Aquiles sabe onde estão todas as desvantagens dentro da armadura e pode facilmente superar seu inimigo. A compreensão de Aquiles dos pontos fracos da armadura poderia simbolizar sua familiaridade com as desvantagens da cultura grega. Tais como, seu enorme desejo por kleos e sua falta de cuidados pelos meios corretos para alcançar essa maravilha.

O novo escudo de Aquiles é uma representação física de sua divindade, enquanto a armadura desatualizada apresenta a morte e a idéia de que Aquiles está mudando e o antigo Aquiles não existe mais. O paralelismo entre as mudanças de Aquiles dentro de si mesmo e de suas duas armaduras é normalmente ignorado, mas é necessário para o conhecimento completo do significado representado dentro da epopéia.

Trabalhos relatados

Homero. Ilíada. Traduzido por Stanley Lombardo. Indianápolis: Cambridge, 1997. [1] [1]

Homero, Ilíada, trad. Stanley Lombardo (Indianapolis: Cambridge, 1997), Livro 9, pág. 171, linhas 425-428. [2] Ibid., Livro 20, linhas 524-525, pág. 402 [3] Ibidem, livro 19, linha 5, pág. 374 [4] Ibid., Publicação 16, linhas 833-837, pág. 329 [5] Ibid., Publicação 16, linhas 899-901 pág. 331

Juliana N

Autora do Studybay

Meu nome é Juliana, sou Bacharel em Filosofia pela IFCH e pós-graduada em Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp. Tenho experiência grande com artigos, trabalhos acadêmicos, resumos e redações com garantia antiplágio.

Avaliações dos usuários:

/5 ( votos)