O PSICOPEDAGOGO INSTITUCIONAL E SUAS INTERVENÇÕES NAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM

Tipo de documento:Artigo cientifíco

Área de estudo:Pedagogia

Documento 1

A intervenção do psicopedagogo deverá ser de caráter preventivo, com um olhar diferenciado e afetivo, tentando compreender as deficiências do aprendizado, visando o aperfeiçoamento das estratégias e metodologias do processo ensinoaprendizagem, na tentativa de transformar a vida escolar do sujeito aprendente, agregandolhe novos níveis de conhecimentos. Palavras-chave: Intervenção psicopedagógica, aprendizagem, dificuldades de aprendizagem ABSTRACT The purpose of this article aims to analyse the role of institutional finance and its assistance in learning difficulties. The difficulty in learning within the school space is one of the biggest problems that the student and teachers are constantly in the news. The best way to use the psychopedagogical intervention is to promote personal transformation by educating, building a quality knowledge, supplying, with methodological difficulties of learning actions, assisting the relevant learning in the life of the student, with your school performance, cognitive and psychomotor. The student should be preventive, with a distinctive look and affective, trying to understand the weaknesses of learning, aiming at the improvement of strategies and methodologies of teaching-learning process, in an attempt to transform the school life of the subject learner, adding new levels of knowledge. Keywords: psychopedagogical Intervention, learning, learning difficulties. INTRODUÇÃO Quando nos referimos ao desempenho escolar e as dificuldades de aprendizagem escolares dos alunos, logo pensamos na intervenção mediadora e reflexiva do psicopedagogo. Uma intervenção psicopedagógica eficiente e de qualidade nessa dinâmica de aprendizagem humana, que ajuda a superar as dificuldades no aprendizado de uma criança com necessidades escolares especiais, é de suma importância.

Os motivos do não aprender emergem de várias vertentes e se desenvolvem a cada dia dentro das escolas. Inúmeros são os fatores que acometem o ser humano dessas necessidades, tais como: dificuldades de leituras e escritas, discalculia, dislexia, convívio social, além da falta de professores capacitados e habilitados para desenvolver metodologias capazes de despertar nas crianças o interesse nos vários campos de aprendizado. Foi destacado também as dificuldades de aprendizado e as ações do professor, visando o bem estar do aluno e da comunidade em que está inserido, trabalhando com afeto e respeitando os limites e as diversidades de cada educando, propiciando um ambiente de aprendizado inclusivo. DIFICULDADE DE APRENDIZAGEM O objetivo principal da educação é que todos os indivíduos aprendam todo o conteúdo proposto durante o período escolar, mas nem sempre isso se faz possível.

As dificuldades de aprendizado fazem com que nem todos possam alcançar tais objetivos. Cada aluno é singular, portanto, aprende à sua maneira e no seu tempo. E o desafio de um psicopedagogo é desenvolver habilidades para fazer com que o aprendizado chegue até cada criança, que traz consigo as dificuldades em absorver os conhecimentos propostos pela escola. ” Para compreendermos esse fenômeno bastante complexo chamado de “aprendizagem”, necessitamos buscar parceiros em outras áreas de conhecimento que possam colaborar e integrar a compreensão do ato de aprender, como a Psicopedagogia, a Pedagogia, a Psicologia, a Neurologia, a Psicanálise, entre outros, para que o trabalho flua de forma responsável, com maior segurança, pois é a vida do sujeito que está envolvida diretamente neste trabalho. Um aluno com insucesso escolar transporta um peso de autodesvalorização muito grande convertendo-se em um sentimento de frustração que se não for percebido vai acarretar muitos prejuízos em seu desenvolvimento escolar e social.

Também são importantes para o processo de aprendizagem, oportunidades de aprendizado, disponibilização de metodologias de ensino adequadas, inovações na prática pedagógica, desenvolvimento e aplicações de novas tecnologias, respeitando o ritmo de aprendizagem do educando. Santos, 2007) afirma que, “É importante para o professor saber o nível de aprendizagem em que seu aluno se encontra para que possa disponibilizar os subsídios necessários para novas aquisições. ” Assim os educadores não devem deixar de perceber o sujeito em relação ao tempo e a cultura. ” Todavia, é importante reforçar que deficiência mental e dificuldade de aprendizagem são distintas e requerem avaliações adequadas que propiciem intervenções educacionais direcionadas. É importante que os professores tenham clareza que não há método bom ou ruim.

Há sim métodos que servem para determinados alunos e não para outros. Não é porque um aluno não aprende por um método que concluiremos que outro não aprenderá. O professor precisa ter uma visão subjetiva do aluno para poder avaliar seus avanços na aprendizagem, pois dois indivíduos nunca seguem exatamente o mesmo percurso educativo. Mas o problema pode não estar localizado no aluno. Pode estar, por exemplo, no método e a dificuldade de aprendizagem, nesse caso, pode representar um termômetro da nossa prática pedagógica. De acordo com (Vercelli, 2012), “(. cabe ao psicopedagogo institucional, junto com a equipe escolar avaliar os fatores que interferem na aprendizagem dos alunos e suas causas”. O psicopedagogo tem por função realizar o diagnóstico institucional para identificar problemas que estão interferindo no processo ensino/aprendizagem dos alunos envolvidos.

Op. Cit, 2010), Portanto, o psicopedagogo deve ter consciência de seu papel e responsabilidade profissional e social e acima de tudo deve respeitar, prezar e zelar por cada vida que for colocada sob seus cuidados, lembrando sempre que cada ser é único e que cada um possui singularidades que precisam ser respeitadas e que são essas diferenças que dão significado à vida. O trabalho psicopedagógico institucional, se ocupa em estudar, pesquisar, investigar, explicar, diagnosticar e tratar os problemas de aprendizagem e das necessidades especiais do aprendizado nas escolas, levando em consideração todos os aspectos formativos na vida do sujeito. O psicopedagogo deve estar preparado para trabalhar com as dificuldades, deve ter a sensibilidade para percebê-las quando há de fato um distúrbio ou apenas dificuldades passageiras que por diversas vezes são resolvidas com facilidade, evitando assim, que essas dificuldades se estendam ao longo da fase da adolescência, perpetuem e se agravem por toda a fase adulta.

O psicopedagogo é o mediador entre aquele que ensina e o que aprende, entrelaça a relação das partes com interesse comum, tanto do professor, como do aluno, possibilitando a aprendizagem e a interação entre si. ALMEIDA, Isabella Santos de, A Importância de um Psicopedagogo em uma Instituição Escolar, Rio de Janeiro/RJ 2010. BOSSA, Nádia A, Fracasso Escolar: um olhar psicopedagógico, Porto Alegre, Artmed, 2008. BOSSA, Nádia. A, Psicopedagogia no Brasil: contribuições a partir da prática, Porto Alegre: Artes Médicas, 1994. FILHO, Pedro José da Silva, O Psicopedagogo e as Intervenções nas Dificuldades de Aprendizagem, Patos, 2012 LOZADA, Thiago Rodrigues, A Intervenção do Psicopedagogo do Ambiente Escolar, 2015.

600 R$ para obter acesso e baixar trabalho pronto

Apenas no StudyBank

Modelo original

Para download