Novas tecnologias na aprendizagem escolar

Tipo de documento:Revisão Textual

Área de estudo:Gestão ambiental

Documento 1

Palavras-chave: Novas tecnologias. Educação. Aprendizagem escolar. Introdução Nas últimas décadas, muitas mudanças têm ocorrido no mundo com o advento das novas tecnologias. Tais mudanças, são compreensíveis e até inevitáveis, pois as necessidades que surgem, ordinariamente, com a sociedade contemporânea, exigem mais rapidez e facilidade no desenvolvimento de atividades, sejam elas ligadas ao trabalho, aos estudos ou apenas para o entretenimento ou diversão. Assim, a atual cultura é digital, as pessoas não vivem, ou não sabem viver, sem se apropriar do uso de algumas, senão todas tecnologias que estiverem aos seus alcances – como é o caso das crianças ainda pequenas, que assim que são apresentadas a um objeto tecnológico já demonstram o interesse por ele e até aprendem a utilizá-lo por meio da curiosidade – e, cada vez mais, o mercado tecnológico tem investido nesse sentido, buscando saciar essa necessidade das pessoas, ou até mesmo criar o desejo que elas ainda não possuem pelo uso de algum aparelho tecnológico. As novas tecnologias na aprendizagem escolar Na área educacional, também, a tecnologia tem sido inserida e gerado muitas discussões. Assim que a tecnologia começou a ser agregada à educação, alguns questionamentos surgiram acerca do futuro da escola enquanto instituição, já que acreditava-se que com o avanço da tecnologia o papel da escola se tornaria aos poucos extinto, mas tal ilusão não se tornou realidade, conforme assevera (BUCKINGHAM, 2010, p.

O debate sobre as ICTs na educação e a pesquisa neste campo têm sido, com frequência, dominados pelos defensores da tecnologia. Porém, em anos recentes, algumas pesquisas mais críticas emergiram, desenhando um quadro diferente. complementa: Poucas escolas oferecem amplo ou irrestrito acesso à Internet para os alunos e muitas adotam sistemas de filtragem de conteúdo, que transformam a navegação na web num obstáculo. A maioria das aulas formais de ICT abrange apenas rudimentos de recuperação de informações, junto com processamento de texto e planilhas eletrônicas simples. Alguns professores dão temas de casa relacionados à web, mas estes, no geral, são restritos à visitação de sites sugeridos. Em comparação com as complexas experiências multimídia que algumas crianças têm fora da escola, muitas das atividades em sala de aula parecem desestimulantes.

Os alunos com Internet em casa têm a tendência, como usuários dessa tecnologia, de desenvolver um forte senso de autonomia e autoridade, e é exatamente isso que lhes é negado na escola. Alguns jogos de computador, por exemplo, envolvem uma extensa série de atividades cognitivas: lembrar, testar hipóteses, prever e usar planos estratégicos. Embora os usuários desses games em geral estejam profundamente imersos no mundo virtual do mesmo jogo, o diálogo e a interação com outros são cruciais. O uso desses games é também uma atividade de multiletramento: geralmente envolve a interpretação de complexos ambientes visuais tridimensionais, leitura tanto de texto on-screen quanto off-screen (tais como jogos/games, revistas e sites da Internet) e processamento de informações auditivas. No mundo dos jogos de computador, o sucesso, no fim das contas, advém da aquisição disciplinada de habilidades e conhecimento.

Os jogos digitais, como mencionado, é uma das alternativas atuais para a aprendizagem escolar na era tecnológica. Na Figura 1, podemos observar um exemplo de poesia digital, também chamada de poemas concretos, tendência criada pelo movimento concretista dos poetas contemporâneos, tendo início em meados dos anos 90, que teve como principais atuantes os irmãos Campos, Décio Pignatari, Arnaldo Antunes e Júlio Plaza, ao desenvolverem um trabalho com o intuito de inserir a computação gráfica na criação poética. Na Figura 2, está exposto um exemplo de uma micronarrativa digital, o conto “dois palitos” de Samir Mesquita, Em “Dois palitos” uma caixinha de fósforo se abre com o movimento do cursor do mouse. Ao clicar dentro da caixa, o palito sai da caixinha, risca o fósforo ao mesmo tempo em que um papel aparece com um microconto.

Todo esse movimento é acompanhado do som do fósforo sendo riscado e queimando. Quando o fósforo é todo queimado, o papel volta para dentro da caixa possibilitando ao leitor clicar em outro palito, até que a caixa fique completamente vazia. html. Assim como as características do leitor mudaram com a inserção da internet e do livro digital, o conceito de letramento também foi modificado. Contudo, o letramento digital não consiste em apenas saber usar o computador e as demais funções, mas sim em aprender a ser apto para avaliar a informação e modificá-la em conhecimento, ou seja, questionar as fontes da informação, os objetivos de quem a criou e as maneiras como ela significa a sociedade, captando, assim, como esses produtos tecnológicos estão ligados a representantes das esferas sociais.

Buckingham, 2010, p. Conclusão Sendo a tecnologia uma importante e constante evolução no mundo, realizar qualquer atividade que seja sem se apropriar de meios tecnológicos é uma tarefa cada vez mais difícil de ser concretizada. dez. DUARTE, E. C. C. Literatura em meio digital: um olhar sobre os novos perfis literários. Disponível em: < http://www. Samirmesquita. com. br/doispalitos. html>.

58 R$ para obter acesso e baixar trabalho pronto

Apenas no StudyBank

Modelo original

Para download