A TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO: USO DE SMARTPHONES EM SALA DE AULA

Tipo de documento:Revisão Textual

Área de estudo:Gestão ambiental

Documento 1

INTRODUÇÃO É indiscutível que os Smartphones tornaram-se aparelhos de uso comum para os indivíduos do século XXI, a tecnologia avança a cada dia mais, numa velocidade difícil de acompanhar. O pesquisador Gustavo Coutinho discorre quanto à evolução dos smartphones: Na década de 1990, no início da Internet no Brasil, as telecomunicações ainda eram, em sua maior parte, realizadas pelo uso do telefone fixo e, em escala muito menor, dos telefones celulares. Atualmente, em 2014, já são mais celulares do que pessoas no mundo, com aproximadamente 273,58 milhões de aparelhos e densidade de 1,3 linhas por habitante, segundo dados divulgados pela ANATEL (Agência Nacional de Telecomunicações) em março deste mesmo ano. O que mais impressiona não é a quantidade, mas o avanço tecnológico por que passaram estes aparelhos, que hoje funcionam como verdadeiros computadores de bolso com capacidade de processamento semelhante ou superior aos computadores do começo da década, com funções e aplicações em praticamente todas as áreas do conhecimento humano. COUTINHO, 2014, p. O número de smartphones em 2014 impressiona, mas em 2017, em artigo publicado pela revista EXAME1 revelou que o número de smartphones era de 5 bilhões de acordo com a GSMA, uma entidade global de telefonia móvel. Não existem registros de pesquisas atuais quanto a esta estatística, mas de certo houve aumento no número de aparelhos e usuários. De fato, acompanhar ou não os avanços não interfere no uso da tecnologia em nossa sociedade, por isso é muito comum conviver com pessoas que não sabem utilizar estas tecnologias ou dependentes de aparelhos tecnológicos, que os usam desenfreadamente, e já existe até um termo científico para essa dependência: “Nomofobia”2.

No âmbito educacional, educadores e educandos sentem a necessidade de mudanças na sala de aula e não só no aspecto tecnológico e de recursos, enfim, de que o ensino acompanhe o ritmo da sociedade. Os pais também sentem necessidade de saber como orientar os filhos no uso consciente da internet e o uso desenfreado de aparelhos tecnológicos, mas ao mesmo tempo, podem estar ainda aprendendo a lidar com estas tecnologias ou sendo reféns dela. as justificativas para a apropriação do smartphone no ensino-aprendizagem seriam a familiaridade - por ser considerada uma tecnologia amigável e comum no cotidiano; a mobilidade e a portabilidade - que permitem levá-lo para qualquer parte; os aspectos cognitivos - por meio do contato com uma gama de recursos em vários formatos (texto, som, imagem, vídeo) e a conectividade - através da internet, que amplia as formas de comunicação, além do acesso à informação, são atributos apontados como potencializadores dessa do seu uso em sala de aula.

Fonseca (2013, p. ressalta ainda que para o sucesso das estratégias com o uso destes aparelhos tecnológicos em sala de aula, é preciso que os educadores estejam preparados para a ação, tanto no que diz respeito à manipulação das ferramentas, tanto na disposição quanto as atividades. Segundo Moran (2013, p. Os alunos estão prontos para a multimídia, os professores, em geral, não. Assim, a educação para e com a tecnologia se faz necessária na educação. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS AGRELA, Lucas. “5 milhões de pessoas tem smartphones”. Revista Exame (virtual). de junho de 2017. MORAN, J. M. MASETTO, Marcos T. BEHRENS, Marilda Aparecida. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica.

357 R$ para obter acesso e baixar trabalho pronto

Apenas no StudyBank

Modelo original

Para download