O IMPACTO DOS SITES DE COMPRAS COLETIVAS NO MERCADO DE VAREJO

Tipo de documento:Redação

Área de estudo:Finanças

Documento 1

Esse fenômeno das compras coletivas traça um perfil de novos laços sociais entre usuários de rede de forma que a técnica agregue modelagem estrutural do desempenho de mercado. Esse tipo de compra passa a ser compatível com outros modelos de compra, em um ambiente diferente e voluntário, com novas implicações em técnicas administrativas. Algumas hipóteses serão investigadas com diretrizes que irão presentificar-se nesse trabalho. Em quais circunstâncias e motivos em que as compras coletivas aumentaram? Palavras-chave: compras coletivas – administração – mercado varejista ABSTRACT The present study has at its core to study more comprehensively the impact of collective bargaining in the retail sites. The purchase network usage denotes new behaviors and analysis of development scenarios that change the business environment. The decision making and adoption of technology the voluntary market and the impact from the adoption of technology to buy in the profile of the buyer. This phenomenon of collective, purchasing paint a profile of new social ties among network users so that the technique adds structural modeling of the performance marketing. This type of purchase shall be compatible with other models purchased in a different environment and voluntary with implications for new management techniques. Keywords: collective market – management – market purchased APRESENTAÇÃO É patente o avanço mercadológico promovido pelas novas tecnologias globais e como que as relações comerciais se modificaram a partir das novas expansões e transações de mercado. Ampliou-se a adesão e a veiculação de produtos comercializados em lojas pelas internet.

ALBERTIN, 2010). Dentro do processo administrativo, a nova modalidade de compra modifica o mercado varejista. Aparecem novas relações, novo sistema, novas execuções, tomadas de decisões e novo cenário para que a tecnologia flua. Objetivos Objetivo geral O objetivo dessa pesquisa é observar quais são os fatores de impacto no mercado varejistas a partir do boom e comportamento de uso dos sites de compras coletivas. Objetivos específicos: - Apontar as principais características do mercado a varejo - Apontar as principais características da internet e da globalização através dos veículos de informação. A pesquisa é qualitativa, pois descreve as características da população apontando estabelecimento de relações entre as variáveis pesquisadas. A pesquisa, quanto à descrição segue com o levantamento dos dados concernentes à entrevista e ao problema por ela investigado.

Os procedimentos técnicos adotados na pesquisam regem As técnicas de coleta de dados a serem empregadas para o alcance dos objetivos da pesquisa são pesquisa bibliográfica e estudo de caso com levantamento. O estudo de caso é a investigação empírica que investiga um fenômeno contemporâneo dentro de seu contexto da vida real, especialmente quando os limites entre o fenômeno e o contexto não estão claramente definidos (YIN, 2001). Hipóteses Primária O mercado assistiu uma ascendência das compras coletivas em caráter vertiginoso, marcando a transição do ambiente econômico industrial para a tecnologia da informação que interligam vários consumidores, parceiros e distribuidores de produtos no mercado. Nesse aspecto, esclarece Leia Baeta Cavalcante: O sistema de auto-serviço adotado por eles e caracterizado pela ausência de vendedor, revolucionou não somente o varejo, quanto também a indústria.

Em certa medida, essa assumiu para si a responsabilidade, antes nas mãos do vendedor, de convencer o cliente a consumir. Para tanto, desenvolveu estratégias de marketing, que incluíram a construção e a solidificação de suas marcas. Além dessa mudança na área da propaganda, o autoatendimento bem como a abertura econômica, possibilitou a partir da década de 80, e mais acentuadamente a partir do início da década de 90, a entrada no país de grandes redes varejistas internacionais, bem como o enorme crescimento e solidificação de grandes grupos nacionais, em detrimento ao modelo até então existente, qual seja, aquele de pulverização da rede varejista na mão de diversos controladores dentro do território nacional. Cabe indagar se esse novo cenário teve como consequência tão-somente a igualação das forças entre varejo e indústria.

Segundo Badin, 4 no Brasil, ainda na época colonial, o varejo era definitivamente dependente de Portugal, que indicava as operações varejistas. Neste contexto, as cooptações de comércio tiveram importante atuação no nosso mercado, tendo sido inventadas com o desígnio de abranger economias de escala. A primeira foi arquitetada por Antônio Vieira, mas com o passar do tempo confirmaram não ser eficientes. Ressalta- se que o comércio brasileiro foi colocado na alavancagem das produções agrícola, pecuária e mineração, acontecendo certa euforia nestes setores durante a fase do império, constatando-se que o mesmo não acontecia no setor industrial. Assim, Couglan5 assevera que os intermediários varejistas tomam muitas formas hoje em dia, abarcando lojas de departamentos, negociantes de massa, hipermercados, lojas especializadas, lojas de conveniência, franquias, clubes de compras, clubes de armazéns, organizadores de catálogos e varejistas on-line.

O aumento rápido de consumidores deve-se a fatos práticos e facilitadores do e-commerce: rápida divulgação, possibilidade de alcançar mais pessoas em um curto espaço de tempo; condições de vendas prévias e normais com facilidade de pagamento, facilidade de fidelização uma vez que os consumidores recebem diariamente todas as ofertas. Salienta-se ainda que o aumento dos sites de compras coletivas, além do ambiente tecnológico – divergente da produção em massa da revolução industrial – disponibiliza a qualidade do produto e serviço. Os consumidores que recebem o mailing list, conhecem o produto ou o serviço que lhes são ofertados uma vez que são da própria região que habitam. Outra causa do aumento dos sites de compras coletivas, ramificações do Peixe Urbano, deve-se ao fator exposto por Kotler (2009) o qual atrai consumidores: o preço.

O preço reduzido por um produto ou serviço já conhecido e por um canal de publicidade e promoção prático e mais rápido. Aumento da facilidade do acesso à internet, que permite a comunicação com o mundo e apresenta a facilidade de veiculação de produtos além ou sem a necessidade da existência de uma loja física. b. Informação: enquanto canal de publicidade, promoção e divulgação o comércio eletrônico auxilia o contato do consumidor com a propaganda. Em termos de folhetos e televisão, a internet tem sido um veículo mais fácil de acesso à informação. c. Estes oferecem descontos até 90% para transações realizadas em grupos. ARAUJO, 2010) As ofertas são divulgadas através de e-mails list por região.

Envolvem descontos de hotéis, de clínicas, de salões, de cursos. Parte-se da premissa que as ofertas são diárias e cronometradas. Os consumidores interessados em realizar as compras e participarem das ofertas do estabelecimento inscrevem-se nos sites e recebem as ofertas. O e-mail marketing deixa de ser a única opção de marketing dessas empresas. A TI e o sites de compras: renovação do comércio eletrônico Com a ampliação do acesso a internet, as comunidades virtuais cresceram e globalizaram relações de mídias e de interesses comuns. As comunidades virtuais consolidam o avanço do comércio e propiciam novos interesses de modelos de vendas pela internet. WANG, 2002). A internet foi um advento ocorrido graças ao avanço da tecnologia, criada para facilitar comunicação entre pessoas distantes, bem como para facilitar a vida das pessoas que com ela poderia realizar tarefas à distância.

De acordo com Costa e Oliveira12, o desenvolvimento da informática se começou a priori com o emprego de computadores de grande porte, que eram instalado em salas especiais e operado por profissionais altamente qualificados. Sendo que a partir de então os computadores são utilizados de forma mais intensa, nesse período intensificou- se os avanços e a internet entram no campo acadêmico contribuindo para o desenvolvimento do conhecimento científico. Reis13 salienta que: A evolução do ambiente de globalização, aliado ao desenvolvimento de novas tecnologias e novas técnicas de organização da produção, provocam inúmeras transformações na distribuição espacial da produção mundial. Os fatores que determinam a competitividade são redefinidos, fazendo surgir novas empresas de sucesso e tornando obsoletas aquelas incapazes de evoluir e adaptar-se ao novo ambiente.

A evolução da tecnologia, junto com a globalização provoca muitas transformações favoráveis aos países que delas desfrutam. Sendo assim, Levy18 ressalta que uma das primeiras coisas que mudam, quando se comparam as características de uma biblioteca concreta com uma virtual é que, graças às tecnologias das telecomunicações em rede, onde o documento reside não é mais importante. O conceito de "lugar" torna-se secundário, tanto para bibliotecários quanto para usuários. O que é importante passa a ser o" acesso" e, com freqüência, a "confiabilidade" da informação. Em outras palavras, é importante saber quem a produziu, quem a identificou como valiosa, quem a selecionou para uso comum, quem a disponibiliza e quem garante sua autenticidade. A biblioteca virtual, com freqüência, aponta para as fontes de informação sem, necessariamente, possuir a propriedade física das mesmas.

Divulgação Todo o produto ou perfil anunciado equivale a um padrão regente pelo canal direito entre a empresa e o cliente. A divulgação é sugerida pelo marketing como a internet sendo o canal. O negócio eletrônico ou o e-business torna-se mais amplo, abrangendo uma população maior, porém com uma indefinição de perfil do consumidor. A divulgação dá-se pelos modelos B2C, o business to consumer, C2C, consumer to consumer. No primeiro a empresa oferece o produto ou serviço para o consumidor final, diretamente, sem intermediários. Além disso, tem-se a vantagem de poder direcionar os investimentos de publicidade e marketing exclusivamente ao nosso público-alvo, aumentando a assertividade do nosso negócio. ” A divulgação em relação ao mercado de compras coletivas é espontânea e se permite utilizar diversas ferramentas de recursos.

A marca, o domínio ponto com e o planejamento avoluma-se a partir da partilha das promoções que são divulgadas no site, uma vez que elas difundem-se de acordo com o interesse de um consumidor que a partilha com outro consumidor. A divulgação, além do e-mail listing, é realizada por meio de ferramentas de busca e de alcance viral de links que são a estratégia atual do ambiente virtual. Vários modelos de divulgação são utilizados no meio virtual para planejar o faturamento. Há informações que podem ser registradas e que podem não ser registradas. As informações registradas estão: a. na internet b. nas bases de dados c. nos relatórios d. Na última fase do ciclo temos a difusão, fase em que a IC formaliza a apresentação mais simples e objetiva de fácil absorção para que os usuários apresentem as informações em intranet.

Menezes e Marcial, 2001) Herring (1966, p. diz que outros procedimentos podem ser sugeridos tais quais: A. identificar as reais necessidades e expectativas desse divisor. Essa orientação é o principal insumo para a definição do foco do trabalho de Inteligência. Monitorar os resultados e comunicá-los a organização. Essa orientação faz com que a área mostre a sua utilizada e como ela agrega valor à organização. Os gastos onlines são utilizados com compras pela internet. As compras coletivas em modalidade atual, apresentam um crescimento vertiginoso. A influência das mídias em rede constroem modelos conceituais de compras e faturamentos. Além do fator segurança, o consumidor de ambiente online está de olho na vendabilidade do produto e/ou serviço e na encontrabilidade, além da usabilidade.

Ele precisa confirmar a tangibilidade do produto e a eficácia para também adquiri-lo. VAZ (2010) diz que o consumidor virtual tende a solicitar especificidades e individualidades de acordo com as suas necessidades e vontades. O descarte dos cupons não comprados relacionados a não correspondência do desejo satisfeito do consumidor em relação ao serviço. O conjunto de indivíduos que compra produtos ou serviços no site de compras coletivas abdica com facilidade da sua decisão de consumo. Não precisam entrar nun carro, achar uma vaga para estacionar e andar por inúmeras ruas até encontrar o que procuram. Informação; os clientes podem encontrar dados comparativos sobre as empresas, produtos, concorrentes e preços sem deixar seu escritório ou residência. Maior comodidade: os clientes não precisam lidar com vendedores nem se expor a fatores de persuasão e emocionais; também não precisam esperar na fila.

” Muitas vezes os cupons não são usados ou porque o cliente encontrou oferta mais significativa em outras lojas virtuais, ou porque a oferta não cobriu a demanda. O consumidor do site de compras coletivas ele tem uma gama grande de ofertas, tempo reduzido, e muitas interfaces online que lhe despertam mais o interesse do varejo tradicional. Quando o consumidor está in lócus, ele tem habilidades a mão para observar o produto que há de ser comprado. Quando ele está no site de compras coletivas ele tem o preço. Logo, nesta etapa do presente estudo, observa-se que ele encurta algumas etapas no processo de aquisição do produto. Com essa definição o serviço pode ser entendido como o locus das atividades compra e venda ou o que sugere que ele aconteça com base nas atuações internas, externas, interacionistas.

Entende-se o processo de compra, partindo do conceito de serviço, como espaço de ato e/ou atividade, ação, esforço, desempenho e/ou processo, de natureza intangível, oferecido a partir do capital humano, devendo trazer benefícios pela valorização econômica que envolve o próprio serviço e o cliente. Os profissionais absorvem funções específicas de acordo com o que devem garantir ao cliente: - gestão da qualidade dos serviços; - gestão de reclamações e recuperações de serviços; - gestão de presença de novos clientes e clientes em potencial. gestão do cenário de serviços. Essa interação e efetivada pelo profissional da empresa e pelo que ele propõe através da individualidade do comprar e representa o ponto ativo da empresa através da conquista, autodesenvolvimento, oportunidades de elevação de postos e cargos.

Através da interação a venda proporciona a evolução profissional ao passo que marca a sua relação efetiva com o cliente da empresa e o cliente em potencial. O relacionamento pessoal acontece desde os primórdios humanitários com base em trocas de mercadorias e favores. Marketing no site de compras coletivas Segundo Gurgel (1994) o marketing no site de compras coletivas estabelece-se a transação e reafirma-se na pequena organização como uma importante estratégia. Logo, visar à ampliação desse recurso estratégico impulsiona e embasa as atividades da pequena empresa. Seria, portanto, viável focar a o cliente e as atividades para qual o público devoto procura. No tocante ao público, diferenciar as estratégias também é válido para a organização. Destaca-se a importância da Teoria do Comprometimento e Confiança, elementos que baseiam o presente estudo.

Seguir na linha de propostas do marketing é fundamental. Decidir sobre as estratégias determinam o rumo do profissional. As estratégias de marketing são direcionadas para a atuação do profissional diante do mercado, marcas ou produtos específicos definidos sob a elaboração de um programa e ações após estabelecimento de objetivos e metas pessoais que devem ser baseadas em organização e necessidade da clientela além do comportamento dos concorrentes. As estratégias fundamentais de marketing estão intrinsecamente ligadas às políticas de decisões e comunicação dentro dos trâmites do site de compras coletivas. Segundo Kotler et al (2000, p. As estratégias alternativas sempre são unívocas e recomendáveis. Há necessidade de inovar em estratégias pessoais e estratégias que conciliem o empenho do potencial pessoal e da organização de serviços.

Comunicar o serviço que presta é uma alternativa viável e constante para inovar e atrair clientes interessados. Atuar com qualidade, consistência, eficiência de estratégias possibilita um desempenho preciso do marketing profissional. Pode- se dizer que o produto é a fundamental declinável do composto de marketing, porque de um certo modo intervém em todas as outras decisões do marketing, como preço, comunicação e distribuição. De acordo com a história e ainda hoje, o preço constitui a interação entre compradores e vendedores num determinado momento e sob apuradas condições. Se os vendedores solicitam um preço além do que os compradores estão organizados a pagar, estes, por sua vez, comprovam quanto verdadeiramente pagariam por tal produto, afinal chegando a um consonância de um preço ideal para ele.

Ainda que, no passado, a agilidade em barganhar tenha sido um ponto forte na significado de preços, hoje, os preços são marcantes em sua maior parte de forma igual para todos os compradores, principalmente quando se vive em épocas de moeda estabilizada. Saber trabalhar bem o preço de seus produtos não é tarefa fácil para os donos de empresas. Em Princípios de Marketing, seus autores indicam alguns fatores que cooperam para que muitos donos de empresas não trabalhem de modo efetivo com o preço que devem cometer no mercado, quais sejam: preços demasiadamente orientados pelos custos; preços que não são revisados com a freqüência indispensável para ajuizar as mudanças no mercado; preços que não levam em consideração o restante do mix de marketing; e preços que não são o suficiente variado para os diferentes itens do produto e segmentos do mercado.

Apesar disso, não pode ser demasiadamente baixo, porque pode prejudicar o produto aos olhos dos clientes, que podem pensar que existe algo de errado nele, além de não ser interessante produzi- lo e comercializá-lo, pois não provocará lucro expressivo. TULESKI, 2009)27 Enfatiza- se que os concorrentes podem ser considerados de acordo com a percepção da empresa, do mercado ou da combinação de ambos, regressando assim mais simples o reconhecimento dos pontos em que se necessita acometer para extrapolar a concorrência. Para algumas empresas um concorrente é apenas quem faz um produto similar, praticamente igual e que tem os mesmos propósitos, outras distinguem seus concorrentes de acordo com o ramo (setor) em que obram, por outro lado ainda têm aquelas organizações que consideram os concorrentes por produtos ou serviços de mesma categoria e têm aquelas que protegem o argumento de que qualquer empresa no mercado é concorrente, porque está disputando o mesmo dinheiro do consumidor, mesmo que sejam segmentos diversos.

ROCHA, 2001)28 Kotler (2004), por sua vez, salienta que qualquer que seja o modelo seguido pela organização, cabe ao profissional de Marketing analisar o mercado, seus concorrentes e especialmente sua própria organização, não deixando que os demais conheçam tão densamente os seus pontos fracos que empreguem- se de estratégias que irão tomar sua fatia de mercado e abolir a probabilidade de recuperação. A afluência sempre procura Informações dos demais, quer conhecer intensamente os acertos dos adversários e mudar a agudeza do consumidor quanto aos produtos ou serviços ofertados. KOZINETS, 2010). A interação e o alto número de vendas que alcançam a margem de R$ 500 milhõe, tende a quadriplicar de acordo com as projeções e a porcentagem uma vez que os sites continuam também aumentando.

E-COMMERCE NEWS, 2011) No que tange as promoções futuras, E-COMMERCE (2010) anuncia as vantagens e probabilidades de maiores efetivações pelos consumidores. Há uma tendências em alcançar novos consumidores a partir dos comerciais atuais. Enquanto houver uma fidelização em rede, principalmente através da revenda de cupons, haverá aumento de oferta pelo conhecimento da marca e do produto ou serviço. Para o esquema da revenda de cupons, novos sites são criados e isso é importante para que a segmentação direcione a mensagem e dispersem a comunicação para que o grau de interatividade seja imediato. O efeito que a publicidade promove tange as informações a respeito dos serviços e da possibilidade de utilizar a própria revenda como cobertura da demanda não alcançada ao longo a oferta primária.

A promoção gerada a partir dos sites de compras coletivas e das revendas de cupons levam os consumidores a experimentar a compra do produto ou serviço. KOTLER, 2000). A revenda, quando estimula as vendas, ela passa a ser uma oportunidade única para o consumidor que não participou da venda primária. Há benefícios em mate-la. Sob a ótica da interatividade, quem comercializa tem feedback a partir das revendas e monitora a segmentação. Da forma como as revendas são promovidas, armazenam-se catálogos eletrônicos de acordo com os produtos de revenda. Muito embora o perfil do consumidor seja um pouco disperso por dentre os cliques, a situação das estatísticas e respostas potencializa o perfil da utilização em massa. REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS ALBERTIN, A.

Folha. com.

191 R$ para obter acesso e baixar trabalho pronto

Apenas no StudyBank

Modelo original

Para download