Como fazer uma pesquisa científica: tipos e métodos de abordagem

Publicado em 08.12.2021 por Diego Rodrigues V.. Tempo de leitura: 18 minutos

Nesse artigo você vai aprender tudo o que precisa saber para começar a fazer a sua pesquisa científica como uma pesquisador profissional. Compreenda a origem da pesquisa, os motivos que levaram grandes pensadores a se dedicarem ao estudo da metodologia científica, e a importância da pesquisa direcionada para a evolução humana. Aprenda a fazer um projeto de pesquisa, com problema, hipótese e objetivos, além de saber que tipo de pesquisa é mais adequada para o seu trabalho.

Você vai encontrar aqui:

O que é pesquisa científica

A pesquisa científica é uma pesquisa feita a partir de um método, uma espécie de passo a passo que guia o pesquisador da sua dúvida até uma resposta para ela. Ainda, para uma pesquisa ser considerada científica, ela deve usar como base da sua estrutura dados e informações comprovadamente verdadeiras pela ciência. Essa condição é a maneira como a sociedade se encontra para desenvolver o conhecimento humano, que deve ser regido pela verdade. Mas nem sempre foi assim.

A pesquisa científica

A pesquisa científica desvenda os grandes mistérios da humanidade. Fonte: Pixabay

História do conhecimento científico

Até o período helenístico, época da história da humanidade que ficou conhecida pelo intercâmbio de culturas (gregas, muçulmanas, fenícias, egípcias e outras), os fenômenos da natureza eram explicados a partir de mitos e lendas. Por exemplo, a ideia de que as colheitas aconteciam de acordo com a vontade dos deuses era muito popular na época. Se o milho não brotava, a crença era que alguns deuses estavam castigando aqueles povos.

Entretanto, graças ao conhecimento acumulado dos diferentes povos que passaram a conviver no reino da Macedônio, desenvolveu-se a origem da ciência. Foi durante esse período que surgiram os primeiros filósofos, como Tales de Mileto, que defendia que os frutos e folhas brotavam melhor em épocas específicas, como o verão e a primavera, por conta das condições climáticas e não por causa da vontade divina.

Filósofos gregos

A partir de observações como a do grego Tales de Mileto, as sociedades passaram a investir na investigação científica para desenvolver-se. Claro que na época existiam poucos recursos tecnológicos que pudessem ajudar em investigações científicas mais profundas e complexas. Entretanto, filósofos gregos como Sócrates e Aristóteles criaram seus próprios métodos de investigação científica. Eles investigavam as sociedades, as relações sociais, a política e assuntos que hoje compreendemos como do campo das ciências sociais.

Quadro A Morte de Sócrates

Quadro A Morte de Sócrates de Jacques-Louis David. Fonte: Pixabay

O método científico

Com o desenvolvimento das sociedades, o conhecimento científico se popularizou e as antigas crenças foram sendo deixadas de lado, dando lugar a pesquisa como a melhor maneira de entender os fenômenos da natureza e também da sociedade, a partir do método científico. O método científico pode ser entendido como os trilhos sobre o qual a pesquisa científica percorre o seu caminho em busca da resposta para a dúvida que a motivou, surgido graças também aos filósofos, herdeiros dos gregos, Francis Bacon e René Descartes.

Após o declínio do Império Romano, principal herdeiro do conhecimento helenístico, houve um abandono do conhecimento como principal ferramenta de desenvolvimento social. Foi o período conhecido como Idade Média, ou Idade das Trevas, para alguns. Na época, a ideia dos gregos, de que só o conhecimento científico conseguiria desenvolver a humanidade, foi sendo abandonada gradualmente. A Igreja e os Reinos, que passaram a controlar a Europa depois da queda do Império Romano, retomaram o conceito de que a vontade divina explicaria a maioria dos fenômenos sociais e naturais.

Ocorre que, durante a Idade Média, muitos pensadores contestaram as explicações dadas pela Igreja e pelos Reis para os problemas sociais e naturais que a sociedade da época enfrentava. O grupo dos renascentistas foram alguns desses pensadores. Figuras como Leonardo da Vinci resgataram a cultura helenística, traduziram as obras de Platão e Aristóteles e reviveram a ideia de que só o conhecimento poderia salvar os homens.

Incentivados pelos renascentistas, um grupo de pensadores se uniu em torno de uma defesa da razão e do conhecimento como única forma de desenvolvimento social e humano. Surgiu, então, o iluminismo. Figuras como Voltaire e Rousseau passaram a contestar o poder das igrejas e dos Reis, abrindo caminho para a revolução francesa. Incentivados, em grande medida, pelo método cartesiano, que defendia que o conhecimento humano só pode ser pautado pela verdade e pela razão, substituindo a observação, método dos gregos, como elemento constitutivo da investigação científica.

Obtenha ajuda em sua pesquisa científica

A partir de R$3 / página

O que serve a pesquisa científica

Foi necessário fazer essa introdução histórica do desenvolvimento do método científico para responder a essa pergunta que tanto aflige os estudantes. Imagine que surge que milhares de pessoas estão tendo problemas respiratórios, em todo o mundo. Esses problemas são iguais, independente da crença ou da cultura do ser humano que sofre dele. Antes da pesquisa científica com método de investigação dos problemas da sociedade, esse problema seria explicado como uma vontade do(s) deus(es).

Entretanto, graças ao método científico, um pesquisador de São Paulo, pode investigar a fundo e descobrir que, na verdade, esses problemas estão sendo ocasionados por um vírus invisível ao olho humano. A partir dessa investigação, as sociedades conseguem fazer novas pesquisas em busca de remédios, vacinas e outras formas de proteger a vida humana desse vírus moral, garantindo que as pessoas continuem vivendo e trabalhando. Esse é o principal objetivo da pesquisa científica, garantir o progresso e a sobrevivência da humanidade.

Humanidade em busca do conhecimento

A dúvida é o que move a humanidade em busca do conhecimento. Fonte: Unsplash

Conceito de pesquisa científica

Diante dessa introdução histórica sobre o tema, podemos concluir que o conceito de pesquisa científica é o estudo científico sistemático, pautado na razão e no conhecimento humano, que busca, através das etapas da pesquisa científica, a resposta para as dúvidas dos problemas da sociedade humana. Os objetivos da pesquisa científica são, em última instância, o desenvolvimento da humanidade.

É claro que uma única pesquisa não é suficiente para encontrar a resposta para todos os nossos problemas, mas uma produção contínua de milhares de pesquisas científicas solucionam muitos dos entraves à evolução da humanidade. Por isso a importância que faculdades e universidades dão à pesquisa científica, pois ela é o alicerce do conhecimento humano.

Conceito de pesquisa científica

Planeje seu caminho antes de começar a sua jornada. Fonte: Unsplash

Como iniciar uma pesquisa científica

Conhecido o conceito, chegou o momento de aprender como fazer uma pesquisa científica e como tudo, devemos começar pelo começo. O ideal, antes de começar a pesquisa, é elaborar um planejamento para facilitar o processo, ainda que muitos pesquisadores defendam a ideia de que o projeto pode engessar a pesquisa científica e obstar o processo criativo. Em todo caso, para quem está começando a lidar com o tema, elaborar um plano é uma boa estratégia para não se perder durante o caminho.

Projeto de pesquisa

Planejar é extremamente importante para qualquer atividade humana. Imagine entrar em uma floresta densa e cheia de perigosos desconhecidos sem ter um mapa, uma bússola e informações mínimas de primeiros socorros. A função do planejamento é auxiliar o caminho de quem está iniciando uma empreitada, como uma pesquisa científica.

Dessa forma, o pesquisador que traça um plano antes de iniciar sua jornada está estudando o terreno, analisando os riscos e pensando nos possíveis resultados da sua jornada. É uma etapa preparatória onde ele estabelece quais os melhores caminhos a serem seguidos, que ferramentas usar e onde ele pretende chegar.

Nesse sentido, todo projeto de pesquisa deve conter quatro elementos fundamentais, de acordo com a Teoria Geral dos Sistemas que define a metodologia científica adequada para quem pretende fazer uma pesquisa profissional. São eles:

  • Processo: um sistema próprio para a execução da pesquisa
  • Eficiência: que deve ser eficaz e chegar em uma conclusão
  • Prazos: tudo isso dentro de um período adequado
  • Meta: alcançando, ao final, os previamente definidos

Esses são os quatro pilares de todo projeto de pesquisa científica e, consequentemente, de todo o projeto que a guiará. Agora que já sabemos os elementos que devem estar presentes em uma pesquisa científica, passemos agora aos itens concretos que uma pesquisa científica deve conter.

Problema da pesquisa

Entre os itens que um projeto deve conter, o problema é o elemento essencial. Afinal, é a dúvida que será investigada. Sem essa dúvida, a pesquisa perde o seu objetivo, a sua razão de existir. Por isso, somente com a formulação é que pode-se dizer que estamos diante do início de uma pesquisa científica. O problema, portanto, é a origem da pesquisa.

Exemplo de problema de pesquisa: como transformar água salgada em água para ser consumida pelos seres humanos?

Repare que o problema é uma pergunta ainda sem resposta, que será dada pelo resultado da pesquisa científica. Todo problema de pesquisa deve, ainda, ter um sujeito, pessoa ou elemento que será o foco da pesquisa, e um objeto, aspecto ou fenômeno investigado. No caso, os seres humanos são os sujeitos das pesquisas e os processos de dessalinização da água o objetivo.

Hipótese científica

Um segundo passo preparatório para iniciar a sua pesquisa científica é elaborar a hipótese científica. Aqui vale pontuar que problema e hipótese são conceitos diferentes. Enquanto aquela é uma pergunta que dá vida à pesquisa, a hipótese é a formulação científica feita pelo pesquisador que pode ou não responder à pergunta, a depender do resultado da pesquisa.

Exemplo de hipótese: ao esquentar a água salgada, ela perde sua característica salina.

A hipótese serve como um norte, um caminho a ser seguido, que pode se mostrar adequado ou inadequado. Ao final da pesquisa ela pode confirmar ou não. Nesse sentido, a busca pela confirmação da hipótese pode ser uma investigação experimental, quando o pesquisador faz testes para saber se sua hipótese se confirma, exploratória ou descritiva, a depender do objetivo.

Objetivos da pesquisa

Após elaborar o problema, gênese da pesquisa, e a hipótese, o pesquisador deve definir os objetivos da pesquisa. Uma forma de fazer isso é formular uma lista com possíveis problemas que a pesquisa pode solucionar, ao responder à pergunta inicial. No nosso exemplo, a transformação da água salgada em doce pode ter vários objetivos, como:

  • Melhorar a qualidade da água consumida pelas pessoas
  • Abastecer regiões que sofrem com a falta de água
  • Fomentar a agricultura em regiões litorâneas, etc.

Como se observa, os objetivos de uma pesquisa científica podem ser muitos. Ainda, quanto aos objetivos, é possível classificar os tipos de pesquisas em três.

Pesquisa exploratória Se o pesquisador definir um objetivo que passe por se aproximar de um tema ou problema já conhecido e pesquisado, estamos diante de um tipo de pesquisa específica, a exploratória. Nela, o escopo do trabalho é, através de uma pesquisa bibliográfica, entrevistas com autores e até estudo de caso, encontrar mais informações ou novas hipóteses para o problema.
Pesquisa descritiva Por outro lado, quando o objetivo do pesquisador for o de descrever algum fato ou fenômeno social, ou natural, ele estará diante de uma pesquisa descritiva. Afinal, o escopo nesse caso será o de descrever, em uma linguagem técnica, o observado sobre o problema apontado durante a pesquisa.
Pesquisa explicativa Outra abordagem que pode ser dada a pesquisa, é a abordagem explicativa, quando o objetivo do pesquisador for o de descrever e dar uma explicação técnica para o problema definido.

Essa divisão dos tipos de pesquisas quanto ao objetivo ajuda os pesquisadores durante os processos de elaboração e formulação da estratégia da sua pesquisa. Cada um desses três tipos conta com formas e modalidades próprias para a sua execução. Passemos agora para a análise das modalidades de pesquisa, ou seja, a classificação das pesquisas científicas quanto aos processos e aos métodos que deverão ser utilizados pelo pesquisador na busca pela resposta ao problema formulado.

Objetivos da pesquisa

Como uma quebra-cabeça, precisamos de estratégia para montar a pesquisa. Fonte: Unsplash

Métodos de investigação científica

Aprender o método como iremos executar determinada atividade é um passo importante para qualquer empreitada humana. Por isso, existem milhares de vídeos do YouTube ensinando a fazer quase tudo, desde dobrar uma camisa até construir uma casa com garrafas pets. No campo científico, funciona da mesma forma, porém os métodos são técnicos. Conheça todas as formas de fazer uma pesquisa técnica.

Experimental

Nesse método de pesquisa, o cientista aplica uma série de variáveis sobre o objetivo da pesquisa e analisa os resultados, em busca da confirmação da sua hipótese. Nessa forma de pesquisar, o escopo central, por meio da relação de causa vs. efeito, achar a resposta. É, talvez, a forma mais conhecida de se pesquisar um problema pouco conhecido.

Inclusive, foi através do método experimental que Eratóstenes, uma pensadora que viveu na Grécia Antiga no século III a. C., descobriu que a Terra era redonda. Ele sabia, através de leituras dos livros da Biblioteca de Alexandria, que em uma cidade que ficava a 800 km da sua, o objetivo ficava sem sombra todos os dias 21 de junho, solstício de verão do hemisfério norte. Assim, no mesmo dia, ele fincou uma vareta na terra e observou que ela formou uma sombra. Dessa forma, induziu que a Terra era curva, pois, os raios do sol chegavam de maneira perpendicular à terra.

Bibliográfica

Nessa modalidade é feito um levantamento de informações relacionados ao objeto do trabalho em meios escritos, como livros, revistas, artigos científicos, trabalhos acadêmicos e outras fontes bibliográficas. O pesquisador compara os conceitos e entendimentos dados por cada autor sobre o problema e formula a sua própria conclusão, é um tipo de pesquisa muito comum em monografias e TCC de graduação e pós-graduação, que não demandam a pesquisa de um assunto inédito.

Documental

Muito semelhante à pesquisa bibliográfica, a pesquisa documental também investiga o problema através da leitura de documentos escritos, mas não somente. Nesse método de pesquisa as principais fontes são fotos, e-mail, notícias, imagens, documentos pessoais, para formular suas pesquisas. É muito usada em pesquisas relacionadas ao campo da história.

Pesquisar é adquirir conhecimento e compartilhar

Pesquisar é adquirir conhecimento e compartilhar. Fonte: Unsplash

De Campo

Como o próprio nome diz, esse método consiste em ir até o local em busca pelas respostas ao problema da pesquisa. Acontece junto aos métodos documental e bibliográfico, como forma de complementar, confirmar ou validar, as informações obtidas.

Ex-post-facto

A pesquisa ex-post-facto é uma modalidade de pesquisa que analisa os resultados de um evento depois que ele já aconteceu. É o oposto da experimental, quando o evento ainda não aconteceu e aplica-se variáveis para encontrar possíveis resultados que confirmem a hipótese. Na ex-post-facto o pesquisador estuda os efeitos das variáveis já ocorridas. Um exemplo é o estudo dos efeitos da de grandes eventos esportivos no mercado de trabalho.

Levantamento

É uma pesquisa que tem como base a coleta de informações para embasar a conclusão. Um tipo muito conhecido dessa pesquisa é o censo demográfico do IBGE. O resultado é uma riqueza de detalhes e informações para os pesquisadores.

Com Survey

Muito parecida a de levantamento, a pesquisa com survey se utiliza de questionários para alcançar seus resultados. É muito aplicada em campos da ciência social, pois, através de perguntas, o pesquisador encontra opiniões e características elementares para o seu objetivo científico.

Estudo de Caso

O estudo de caso é a forma de pesquisa que busca por resposta em um objeto pré-definido e tal como ele é, sem interferências. Assim, o pesquisador analisa o funcionamento de um sistema, uma entidade, instituição, grupo social, e expõe as informações que obteve.

Estudo de Caso

Laboratórios são grandes fontes de produção científica. Fonte: Pixabay

Participante

Nesse método, o pesquisador se transforma em investigador. A pesquisa participante é muito utilizada por antropólogos que, para compreender melhor tribos e grupos sociais, passam a viver com e como os sujeitos da sua pesquisa.

Pesquisa-ação

O pesquisador que se vale da pesquisa-ação deixa de ser um mero observador para ser um sujeito agente do grupo que está estudando. Ele participa da pesquisa como agente ativo e essencial para o resultado, utilizando seu conhecimento e sua base científica para guiar os pesquisados na busca da resposta à sua pergunta.

Etnográfica

É basicamente o estudo de determinado povo ou grupo social. O pesquisador etnográfico vale-se de uma ampla gama de ferramentas técnicas, como a capacidade de observação, análise, interação, experiências, para a elaboração de um relatório final que explique o funcionamento do objeto estudado. Vale destacar que na etnográfica o pesquisador não interfere no objeto da sua pesquisa.

Etnometodológica

A mais jovem de todos os métodos de pesquisa, a pesquisa etnometodológica consiste em partir de uma premissa de que os seres humanos são resultados dos seus relacionamentos sociais. Assim, o pesquisador etnometodológico explica porque somos como somos.

Resumo do processo de pesquisa científica

No presente artigo foi apresentado desde a origem de natureza da pesquisa científica, a característica do método científico, os elementos de um projeto científico, toda a classificação científica das formas de se pesquisar. Além de exemplos para os problemas, hipóteses e objetivos de uma pesquisa. Confira a seguir um quadro resumo com tudo o que precisa para fazer uma abordagem científica adequada e sem erros.

O que fazer O que não fazer
  • Compreender a natureza da pesquisa científica, como fonte de conhecimento humano.
  • Ignorar o conceito de pesquisa e método conceito e todo o caminho histórico percorrido pelos pensadores até a definição da definição atual.
  • Elaborar um projeto de pesquisa com justificativa científica, ou seja, um problema, hipóteses e objetivos que sustentarão a pesquisa.
  • Não se preparar nem planejar de iniciar sua pesquisa. Começando a escrever de forma livre e sem um roteiro pré-estabelecido.
  • Elencar os métodos de pesquisa que pretende usar para chegar a conclusão do seu trabalho.
  • Ignorar os métodos de abordagem e seguir e fazer sua pesquisa em mecanismos de buscas online, apenas.
  • Adequar os modelos para o seu objetivo científico, sempre que possível consultando especialistas.
  • Pegar um modelo pronto e começar a escrever a sua pesquisa científica em cima dele.

Veja nesse vídeo dicas para sua pesquisa

Quem estiver com dúvidas sobre o conteúdo do artigo, pode encontrar no YouTube uma série de vídeos como esse que vão ajudar o aluno na execução da pesquisa científica.

Precisa de ajuda com sua pesquisa científica?

Fazer uma pesquisa científica, seja uma simples tarefa como a de uma iniciação científica ou mais complexas como para um mestrado ou doutorado, é uma tarefa difícil que demanda tempo e conhecimento. Afinal, pessoas estudam anos e se especializam no campo da pesquisa. Por isso, é normal ter problemas quando o assunto é pesquisa científica.

Fique tranquilo, aqui na StudyBay encontram-se os melhores escritores para a sua pesquisa científica. Eles estão preparados para ajudar você a elaborar um projeto de pesquisa que concorde com o conteúdo programático do seu curso. Além disso, eles darão todo o suporte necessário para concluir sua pesquisa científica com maestria.

O que é pesquisa científica

Conte com a StudyBay para ajudar na sua jornada. Fonte: Unsplash

A pesquisa científica é o primeiro passo

Na graduação nos deparamos com a primeira experiência de pesquisa científica de nossas vidas. Na iniciação científica aprendemos a pesquisar, consultar bibliografia e escrever um artigo científico. Nas aulas de metodologia científica, conhecemos as etapas e os métodos de abordagem de uma pesquisa científica, mas é no trabalho de conclusão que colocamos à prova todo o nosso conhecimento.

Entretanto, para quem escolher o meio acadêmico, deve ficar ciente que a pesquisa científica é apenas o primeiro passo de um amplo e vasto campo do conhecimento. Por isso, estudar os principais métodos de pesquisa e elaborar métodos próprios é uma tarefa que o pesquisador realizará durante toda a sua carreira profissional.

Nesse sentido, dedicar-se na elaboração de uma excelente pesquisa científica é o investimento que abrirá muitas portas lá na frente, quando você começar a se candidatar para outros projetos de pesquisas em faculdades e programas de incentivo à pesquisa. Faça um bom trabalho agora para colher os frutos depois.

Calculadora de Preço

Nós temos os melhores preços, veja por si mesmo!

Nosso Preço R$14 R$9 🔥

Perguntas frequentes sobre pesquisa científica

Para que servem os objetivos de uma pesquisa científica?

Os objetivos servem para guiar o pesquisador durante a sua jornada científica. Eles são os faróis em alto mar que ajudam o aluno a navegar pelas águas turbulentas e desconhecidas da pesquisa científica. Ao atingir um dos objetivos, o pesquisador sabe que está no caminho certo.

 

Como definir o problema de pesquisa?

Para definir um problema de pesquisa é necessário se questionar o que causa mais incômodo ao aluno ou aluna, algo que gostaria de pesquisar para poder contribuir com a sociedade. Pergunte aos professores as respostas para suas indagações e, caso alguma pergunta fique sem resposta, separe ela para ser o seu problema de pesquisa.

 

Qual diferença entre pesquisa e pesquisa científica?

Como dito anteriormente, a pesquisa é uma atividade comum, feita por qualquer pessoa que, ao se deparar com uma dúvida, vai até um mecanismo de busca, um livro ou alguma fonte de conhecimento, busca pela resposta. Já a pesquisa científica é uma atividade extraordinária, feita por uma especialista, que quer ajudar outras pessoas e compreender os fenômenos naturais ou sociais, contribuindo para a construção do pensamento humano.

 

Qual é a importância da pesquisa científica?

Ela é importante porque é somente através da pesquisa minuciosa que a humanidade consegue se desenvolver, criar novas tecnologias, solucionar problemas que podem acarretar na extinção da nossa espécie. Em suma, a pesquisa científica mantém a humanidade em constante evolução.

Checklist na hora de fazer sua pesquisa científica

 
 
 
Diego Rodrigues V.

Autor do Studybay

Advogado de formação, sempre gostou de ler, mas nunca foi de escrever. Começou a escrever mesmo durante o curso de direito, onde era escolhido para digitar os trabalhos da faculdade, por escrever muito bem, como dizia os amigos. Nunca acreditou nisso, até que começou a ganhar dinheiro escrevendo. Desde então, se dedica à escrita e busca ajudar outras pessoas a escreverem. Além de manter vivo no horizonte o sonho de escrever o seu primeiro romance. É fã de Hemingway e Adoniran Barbosa.